quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Moraes Moreira

Antônio Carlos Moreira Pires, artisticamente conhecido como Moraes Moreira, nasceu em Ituaçu/BA, em 8 de julho de 1947.

Seu primeiro instrumento foi a sanfona. Logo depois, passou a tocar violão e guitarra. Em 1966, transferiu-se para a cidade de Salvador e foi morar em uma pensão, onde conheceu Paulinho Boca de Cantor e Luis Galvão, com os quais formaria mais tarde o grupo Os Novos Baianos. Por essa época trabalhava como bancário.

Em 1968, juntamente com Paulinho Boca de Cantor, Luis Galvão, Pepeu Gomes e Baby Consuelo (hoje Baby do Brasil), formou o grupo Os Novos Baianos, que fez sua estréia com o show "Desembarque dos bichos depois do dilúvio", em Salvador.

No ano seguinte, participou, com o conjunto, do V Festival da Música Popular Brasileira da TV Record de São Paulo, com sua composição "De Vera" (c/ Galvão). A canção foi registrada no primeiro LP do grupo, lançado nesse mesmo ano, ao lado de outras da mesma dupla de parceiros como "É ferro na boneca" e "A casca de banana que pisei".

Em 1970, Baby Consuelo lançou um compacto simples, pela RGE, contendo outra música de sua autoria, "Curto de véu e grinalda" (c/ Galvão).

Ainda no início dos anos 1970, transferiu-se com os outros integrantes do conjunto Os Novos Baianos para o Rio de Janeiro, vivendo inicialmente em um apartamento em Botafogo e, mais tarde, em um sítio em Vargem Grande.

Em 1972, o grupo incorporou o baixista carioca Dadi e os percussionistas Jorginho Gomes, Baixinho e Luis Bolacha. Redirecionado musicalmente pela influência de João Gilberto, amigo de infância de Luis Galvão, o conjunto gravou, pela Som Livre, o LP "Acabou Chorare", contendo, entre outras, canções de sua parceria com Galvão, como a faixa título, "Mistério do planeta", "A menina dança", "Um bilhete pra Didi", "Tinindo trincando" e "Preta, Pretinha", esta última vindo a se tornar um dos maiores sucessos do grupo, que também ficaria conhecido pela releitura de "Brasil pandeiro" (Assis Valente), incluída nesse mesmo LP.

Em 1973, ainda com o grupo, lançou o LP "Novos Baianos Futebol Clube". Neste disco, foram registrados outros sucessos de sua autoria, como "Besta é tu" (c/ Pepeu e Galvão), "Sorrir e cantar como Bahia" e "Só se não for brasileiro nessa hora", ambas em parceria com Galvão, entre outras. O disco incluiu também uma releitura de "Samba da minha terra" (Dorival Caymmi), que se tornaria outro grande sucesso do conjunto.

Em 1974, ainda com o grupo, lançou pela Continental o LP "Linguagem do alunte", no qual foram incluídas, de sua parceria com Galvão, a faixa-título, "Ao poeta", "Reis da bola", "Ladeira da praça" e "Fala tamborim", entre outras. Com a dissolução do conjunto, partiu para carreira solo. Nesse mesmo ano, participou da trilha sonora da novela "Gabriela" (TV Globo), na qual interpretou sua música "Guitarra baiana".

Em 1975, lançou seu primeiro disco solo, "Moraes Moreira".

No ano seguinte, iniciou uma parceria com o poeta Fausto Nilo, com quem compôs "Santa fé", tema de abertura da novela "Roque Santeiro" (Rede Globo). Ainda em 1976, participou, como cantor, do Trio Elétrico de Dodô e Osmar.

Lançou, em 1977, o LP "Cara e coração".

Em 1978, lançou o LP "Alto falante". Nesse mesmo ano, Zezé Motta interpretou sua música "Crioula" em disco lançado pela gravadora Atlantic.

Em 1979, lançou o LP "Lá vem o Brasil descendo a ladeira". Nesse mesmo ano, Terezinha de Jesus incluiu no repertório do LP "Vento Nordeste" (CBS) sua composição "Fogo fátuo" (c/ Chacal). Também em 1979, Zizi Possi e o grupo A Cor do Som interpretaram "Fruto maduro", de sua autoria. Ainda nesse ano, Paulinho Boca de Cantor, ex-integrante dos Novos Baianos e também seguindo carreira solo, incluiu diversas composições de sua autoria em disco lançado pela gravadora Epic: "Nossa trajetória" (c/ Paulinho e Galvão), "Mambeando à beira mar" (c/ Jorginho, Paulinho e Galvão), "Leva o vento" (c/ Galvão) e "Eu sou um padeiro".

Em 1980, lançou o LP "Bazar brasileiro". Nesse mesmo ano, Terezinha de Jesus registrou, no LP "Caso de amor", sua música "Tua sedução" (c/ Fausto Nilo).

Em 1981, lançou o LP "Moraes Moreira. Elza Maria incluiu, no disco "Entra na Rosa" (PolyGram), lançado também nesse ano, sua canção "Pelo microfone" (c/ Fausto Nilo). A música seria regravada mais tarde, também com sucesso, por Elba Ramalho. Ainda em 1981, a dupla Bendegó, formada por Capenga e Gereba, gravou "Do I Ching ao Xingu", de sua parceria com Capenga e Antonio Risério.

Lançou, em 1982, o LP "Coisa acesa". Nesse mesmo ano, com direção e roteiro de Fred Góes, montou o show "Pintando o oito", apresentado no Anhembi (SP). Também em 1982, Ângela Maria gravou sua canção "Sempre Ângela" (c/ Fred Góes e Paulo Leminski).

No ano seguinte, lançou o LP "Pintando o oito".

Em 1984, gravou o LP "Mancha de dendê não sai". Também nesse ano, Zezé Motta incluiu, no LP "Frágil força", sua música "Nega Dina" (c/ Capinan) e Zizi Possi regravou "Dê um rolê" (c/ Galvão), sucesso dos anos 1970 na voz de Gal Costa.

Em 1985, Beth Carvalho interpretou "O encanto do Gantois", de sua parceria com Edil Pacheco. Ainda nesse ano, compôs com Fausto Nilo "Olhos de Xangô", incluída na minissérie "Tenda dos Milagres" (Rede Globo). Também em 1985, Luiz Gonzaga gravou "Instrumento bom", de sua parceria com Fred Góes.

Em 1986, lançou o LP "Tocando a vida". Nesse ano, sua composição "Dança do amor" (c/ João Donato) foi interpretada por Tânia Alves, no LP "Dona de mim" (CBS).

Em 1987, gravou o LP "Mestiço é isso?". Nesse ano, Fausto Nilo lançou o disco "12 Letras de Sucesso", no qual o letrista compilou algumas de suas músicas mais conhecidas, em gravações de grandes artistas da MPB, algumas de autoria da dupla, como "Bloco do prazer", com Gal Costa, e "De noite e de dia", com Maria Bethânia, além de sua própria gravação de "Meninas do Brasil" e "Santa Fé".

Em 1988, lançou os LPs "Bahiano fala cantando" e "República da música". Também nesse ano, apresentou-se, ao lado de Armandinho, em turnê de shows nos Estados Unidos.

Em 1989, Elba Ramalho interpretou "Popular brasileira", de sua parceria com Fred Góes, faixa que deu título ao disco da cantora. Nesse mesmo ano, Fred Góes fez o roteiro de seu especial para a Rede Manchete. Ainda em 1989, participou do disco de Armandinho.

Em 1990, fez dupla com Pepeu Gomes, com quem lançou o disco "Moraes e Pepeu". No ano seguinte, o disco foi lançado no Japão.

Em 1991, gravou o disco "Cidadão", no qual registrou, entre outras, "Leda" (c/ Paulo Leminski) e a faixa-título, de sua parceria com Capinan.

Um ano depois, convidado por Almir Chediak, participou do songbook de Gilberto Gil, interpretando ao lado de seu filho Davi Moraes a música "Procissão".

Em 1993, lançou o CD "Terreiro do mundo", com destaque para sua canção "Agradeça ao Pelô" (c/ Neguinho do Samba), e o CD "Tem um pé no Pelô".

Gravou, no ano seguinte, o CD "O Brasil tem conserto".

Em 1995, lançou o CD "Acústico Moraes Moreira", interpretando 15 sucessos de sua carreira, dentre os quais "Lá vem o Brasil descendo a ladeira" (c/ Pepeu), "Festa do interior" (c/ Abel Silva), "Coisa acesa" (c/ Fausto Nilo), "Acabou chorare" e "Preta Pretinha", ambas com Galvão.

Em 1996, lançou o CD "Estados".

No ano seguinte, juntamente com Baby do Brasil, Paulinho Boca de Cantor, Luis Galvão e Pepeu Gomes, entre outros componentes do grupo Novos Baianos, apresentou o show "Infinito Circular", no Metropolitan (RJ). O espetáculo foi gravado e deu origem ao disco homônimo, lançado no mesmo ano. Ainda em 1997, gravou gravou o CD "50 Carnavais", contendo sete músicas inéditas e cinco regravações de antigos sucessos.

Em 1999, lançou o CD "500 sambas".

Em 2001, participou do Rock In Rio, apresentando-se, com seu trio elétrico, no Palco Mundo.

Lançou, em 2003, o CD "Meu nome é Brasil", contendo suas canções "Violão cidadão" e "Mais que palavras", ambas com Fred Góes, "Minha pérola", "Choro novo" (c/ Armandinho), "Indagações de um analfabeto" (c/ Zé Walter), "Rainha da cocada preta" (c/ Tavinho Paes), "Me azara meu amor" (c/ Abel Silva), "Eu sou o caso deles" (c/ Galvão) e "Tô fazendo" (c/ Fred Góes e Maria Vasco), além de "Gente humilde" (Garoto, Chico Buarque e Vinícius de Moraes), "Respeita Januário" (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira), "Aos pés da Cruz" (Marino Pinto e Zé da Zilda) e "Trem das Onze" (Adoniran Barbosa). Fez show de lançamento do disco no Teatro Rival BR (RJ).

Em 2005, gravou o CD "De repente", contendo suas canções "Povo brasileiro" (c/ Armandinho), "Pra vida inteira", "Baião D2", "Palavra de poeta" (c/ Fred Góes) e "Na glória do samba", entre outras. Fez show de lançamento do disco na Feira de São Cristóvão, ponto de encontro do povo nordestino no Rio de Janeiro, e na Modern Sound (RJ).

Constam da relação dos intérpretes de suas canções, além dos já citados, Daniela Mercury ("Monumento vivo", com Davi Moraes), Ney Matogrosso, Luis Melodia ("Mistério do planeta", com Luis Galvão), Fagner, Simone ("Pão e poesia", com Fausto Nilo), Marisa Monte ("Dê um rolê", com Galvão) e Gal Costa ("Festa do Interior", com Abel Silva, música mais tocada em 1982), entre vários outros.

Em linguagem de cordel, lançou, em 2007, o livro “A história dos Novos Baianos e outros versos” (Língua Geral Editora), acompanhado de um CD que registra sua voz na leitura do cordel e também de poemas inéditos e letras de sua autoria. O lançamento foi celebrado na Modern Sound (RJ), com leitura de trechos do livro e performance musical, ao lado de seu filho, o guitarrista Davi Moraes.

Lançou, em 2009, o CD e DVD "Moraes Moreira - A História dos Novos Baianos e Outros Versos", gravado na Feira de São Cristovão, com direção de João Falcão. No repertório, suas canções “Ferro na boneca”, “Acabou Chorare”, “Mistério do Planeta”, “A menina dança” e “Preta Pretinha”, todas em parceria com Galvão, “Lá vem o Brasil descendo a ladeira” (c/ Pepeu Gomes), “Sintonia” (c/ Zeca Barreto e Fred Góes), “Eu também quero beijar” (c/ Pepeu Gomes e Fausto Nilo), “Bloco do prazer” (c/ Fausto Nilo”, “Spok Frevo Spok” (c/ Fernando Caneca), “Chame gente” (c/ Armandinho) e “Festa do interior” (c/ Abel Silva), além de “Um bilhete pra Didi” (Jorge Gomes), “Brasil Pandeiro” (Assis Valente) e “Vassourinhas” ( Matias da Rocha e Joana Batista Ramos).

Moraes continua se apresentando em shows, particularmente na Bahia, e excursionando ao lado do flho Davi Moraes, no show "Pai e Filho".

Além disso as vendas do Livro Sonhos Elétricos continua bastante legal e a pedidos do público, a editora Língua Geral reeditou o livro “A História dos Novos Baianos e outros versos” lançado por Moraes em 2007 e que logo após virou CD e DVD. Neste livro Moraes traz a história dos novos baianos e suas aventuras na carreira solo e uma brilhante aventura sob formas de cordéis. O Livro estava esgotado e recebeu nova prensagem. Ele acompanha um CD – AUDIOBOOK com a narração do próprio Moraes.

Fontes: Dicionário Cravo Albin da MPB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário