sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Angela Maria

A cantora Abelim Maria da Cunha, nome verdadeiro de Angela Maria, nasceu no dia 13 de maio de 1928, em Conceição de Macabu, ex-distrito de Macaé-RJ.

Angela Maria / 1977
Na Igreja Batista do Bairro do Estácio, no Rio de Janeiro, em 1950, Abelim era a primeira voz no coro. O Reverendo Albertino Coutinho da Cunha, Pastor da Igreja, gostava da voz de sua filha. Todos os seus filhos cantavam durante os cultos religiosos. Mas, a voz de Abelim era a mais ouvida.

Por volta de 1947, começou a freqüentar programas de calouros. Apresentou-se no Pescando Estrelas, de Arnaldo Amaral, na Radio Clube do Brasil (hoje Mundial), na Hora do Pato, de Jorge Curi, na Radio Nacional, e no programa de calouros de Ari Barroso, na Rádio Tupi. Usando o nome de Ângela Maria, para não ser descoberta pela família, participou também do Trem da Alegria, dirigido pelo "Trio de Osso" (os magérrimos Lamartine Babo, Iara Sales e Heber de Bôscoli), na Radio Nacional.


                          Angela Maria / 1967
Logo, sua voz foi se tornando conhecida dos ouvintes, o que dificultou sua participação nesses programas, pois ela estava deixando de ser caloura. Nessa época, era inspetora de lâmpadas numa fabrica da General Eletric e, decidindo tentar realmente a carreira de cantora, abandonou a família e foi morar com uma irmã no subúrbio de Bonsucesso.

Em 1948 conseguiu lançar-se como crooner no Dancing Avenida. Em sua noite de estreia, cantou "Olhos Verdes", de Herivelto Martins e Benedito Lacerda. No dancing, foi ouvida pelos compositores Erasmo Silva e Jaime Moreira Filho, que a apresentaram a Gilberto Martins, diretor da Radio Mayrink Veiga. Feito o teste, começou carreira na emissora, interpretando musicas de Othon Russo e Ciro Monteiro, compositores que a ajudaram a criar um repertório pessoal, abandonando a influência de Dalva de Oliveira.


Angela Maria 
Firmando-se a partir de 1950 como intérprete, em 1951 estreou em disco com "Sou Feliz", de Augusto Mesquita e Ari Monteiro, e "Quando Alguém vai Embora", de Ciro Monteiro e Dias Cruz, na Victor. No ano seguinte, sua gravação do samba "Não Tenho Você", de Paulo Marques e Ari Monteiro, bateu recordes de venda, marcando o primeiro grande sucesso de sua carreira.

Durante a década de 1950, atuou intensamente no rádio, apresentando-se na Radio Nacional, nos programas de César de Alencar e Manuel Barcelos, e na Rádio Mayrink Veiga, como a estrela de A Princesa Canta, nome derivado de seu titulo de Princesa do Rádio, um dos muitos que recebeu em sua carreira.


Angela Maria
Em 1954, em concurso popular, tornou-se a Rainha do Radio, e no mesmo ano estreou no cinema, participando do filme "Rua Sem Sol", de Alex Viany.

Apelidada Sapoti pelo presidente Getúlio Vargas, tornou-se a cantora mais popular do Brasil durante a década de 1950, alcançando os maiores êxitos com os sambas-canções "Fósforo Queimado", de Paulo Marques, Milton Legey e Roberto Lamego, "Vida de Bailarina", de Américo Seixas e Chocolate, "Orgulho", de Valdir Rocha e Nelson Wederkind, "Ave Maria no Morro", de Herivelto Martins" e "Lábios de Mel", de João Vilaça Júnior e Nage, além da canção afro-cubana "Babalu" (Margarita Lecuona).


Angela Maria
Voltando a gravar na RCA Victor em fins da década de 1950, em 1963, viajou para Portugal e África, cantando para soldados portugueses que então lutavam nas colônias.

Um de seus grandes êxitos na segunda metade da década de 1960 foi a canção "Gente Humilde", de Garoto, Chico Buarque e Vinícius de Moraes.


Angela Maria
Em 1996, Angela Maria foi contratada pela gravadora Sony Music e lançou o CD "Amigos", com a participação de vários artistas como Roberto Carlos, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Chico Buarque, entre outros. O trabalho foi um sucesso, celebrado num espetáculo no Metropolitan, atual Claro Hall (Rio de Janeiro), e um especial na Rede Globo. O disco vendeu mais de 500 mil cópias.

Angela Maria
Foi uma fase muito feliz da carreira da cantora que, no ano seguinte, apresentou o álbum "Pela Saudade que Me Invade", com sucessos de Dalva de Oliveira, e, um ano depois gravou, com Agnaldo Timóteo, o CD "Só Sucessos", também na lista dos cem álbuns nacionais mais vendidos.

Após a saída da Sony, Ângela voltou a gravar em 2003, desta vez pela Lua Discos, o "Disco de Ouro", com um viés eclético, abrangendo compositores que vão de Djavan a Dolores Duran.


Angela Maria
Em 2011, após 45 anos do surgimento da série Depoimentos para a Posteridade do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro, foi convidada em 23 de agosto para deixar registrada sua história. Na entrevista contou passagens importantes de sua carreira artística, afirmando ter gravado 114 discos e ter vendido 60 milhões de exemplares.

Angela Maria com Rolando Boldrin / 2012
Em 1979, com 51 anos e vivendo sozinha, conheceu um homem que mudaria sua vida: Um rapaz de 18 anos mexeu com seu coração. Ele era noivo de uma moça da faixa etária dele, porém o garoto, chamado Daniel, gostou de Ângela, abandonou a noiva e os dois passaram a ter um envolvimento amoroso intenso, o que chocou a todos, e o casal sofreu muito com preconceitos, e Ângela ficava muito triste com a imprensa. Daniel a ajudou quando ela quase perdeu tudo, dando forças a ela e arranjando trabalhos de cantora. Eles namoraram por 33 anos, até que em 13 de maio de 2012, no dia do seu aniversário de 84 anos, ela pediu ao namorado, com 51, em casamento, e nessa data os dois se casaram oficialmente em uma festa com familiares e amigos. Ângela se diz muito feliz e que ele foi o único homem que lhe fez verdadeiramente feliz.

Angela Maria, que completou em 2012 sessenta anos de carreira, apresenta-se em shows por todo o Brasil.

Fontes: Sites MPB Net; Wikipedia.


                                                         Angela Maria - "Mentindo" - no filme Rio Fantasia / 1957


                                                   Angela Maria e Elis Regina - "Vida de Bailarina / Pra Dizer Adeus / 1972


                                                                  Angela Maria - "Tango Para Tereza" / 1975


                                                                  Angela Maria - "Adeus, Querido"


                                              Angela Maria - "Poesia das Favelas" - filme: Quem Roubou Meu Samba / 1958


                                                 Angela Maria - "Não Tenho Você / Vida de Bailarina" - Fantástico / 1978


                                                            Angela Maria e Roberto Carlos - "Desabafo" - Som Brasil / 1996


                                                                 Angela Maria e Agnaldo Timóteo - "Não Se Vá"


                                                          Angela Maria - "Abandono" - Programa Ensaio - TV Cultura


                                                             Angela Maria - "Babalu" - Programa Ensaio - TV Cultura


                                                            Angela Maria - "Gente Humilde" - Programa Ensaio - TV Cultura                               


Nenhum comentário:

Postar um comentário