sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Márcia

A cantora Márcia Elizabeth Raimundo Barbosa, mais conhecida simplesmente como Márcia, nasceu na cidade de São Paulo, em 25 de novembro de 1943.

Casada com o locutor esportivo Sílvio Luiz, suas gravações de "Ronda" (Paulo Vanzolini) e "Eu e a Brisa" (Johnny Alf) são seus maiores sucessos.

Em 1958, foi contratada pela TV Tupi, por indicação de Kalil Filho e do maestro Erlon Chaves que a conheceu cantando em sua orquestra.

Em 1960, foi trabalhar na Rádio Farroupilha, de Porto Alegre e na TV Piratini, época em que sua voz começou a ser reconhecida e agraciada com vários prêmios.

De volta a São Paulo, depois de um período apresentando-se em boates, teatros e emissoras de TV, veio a era dos festivais. Em 1965, Márcia recebeu o Berimbau de Ouro (melhor cantora) pela interpretação de "Miss Biquíni" (de Silvio Mazzuca) no 1º Festival de Música Popular Brasileira, da TV Excelsior. Dois anos depois, defendeu a canção que se tornaria uma de suas "marcas registradas" — "Eu e a Brisa", de Johnny Alf, no 3º Festival da Música Popular Brasileira (TV Record), que nem sequer foi classificada à fase final.

Em 1968, "Eu e a Brisa" foi o carro-chefe de seu primeiro disco, lançado pela gravadora Odeon e que tinha também "Pra Machucar Meu Coração" (Ary Barroso) e "Aula de Matemática" (Tom Jobim e Marino Pinto), entre outras. Nesse mesmo ano, lançou o "Show/Recital", com Baden Powell e os Originais do Samba.

Em 1970, Márcia gravou o compacto duplo que tinha "E Lá Se Vão Meus Anéis" (Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro), "Minha" (Francis Hime e Ruy Guerra), "Eu e o Crepúsculo" (Johnny Alf) e "Fé Manhã" (Baden Powell e Paulo César Pinheiro).

Em 1972, Márcia fez shows em Portugal, com Baden Powell e Vinícius de Morais. No ano seguinte, além de lançar o álbum "Rimas", com músicas de Noel Rosa ("Ilustre Visita") e Assis Valente ("Fez Bobagem"), apresentou-se ainda no Expo-Som 73, com Leny Andrade, Simone e Ari Vilela, show gravado ao vivo e foi lançado em disco.

Em 1974, veio o espetáculo "O importante é que a nossa emoção sobreviva", com Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro, que também gerou um disco, gravado durante a longa temporada do Teatro Oficina e o segundo volume, dois anos depois.

Em 1977, gravou outro de seus maiores sucessos, "Ronda", de Paulo Vanzolini.

Nos anos 80 e os anos 90, voltou a se apresentar com a dupla Gudin e Pinheiro, e gravou vários álbuns.

Discografia

Eu e a brisa (1968)
Show/Recital. Baden Powell. Márcia. Os Originais do Samba (1968)
Márcia (1969)
E lá se vão meus anéis/Minha/Eu e o crepúsculo/Fé manhã (1969)
Márcia vol. II (1970)
Márcia vol. 3 (1970)
Rimas (1973)
Expo-Som 73 — ao vivo, com Leny Andrade, Simone e Ari Vilela (1973)
O importante é que a nossa emoção sobreviva — com Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro (1975)
O importante é que a nossa emoção sobreviva nº 2 — com Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro (1976)
Ronda (1977)
Eu só queria ser (1983)
Pra machucar seu coração-vol. 1 (1996)
Tudo o que mais nos uniu — com Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro (1996)
Pra machucar seu coração-vol. 2 (1997)
Cartola 90 anos — com Élton Medeiros (1998)

Fontes: Dicionário Cravo Albin de MPB, Wikipedia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário