quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Marília Barbosa

Marília Barbosa nasceu no Rio de Janeiro/RJ, em 21 de abril de 1950.

Marilia Barbosa era uma garotinha com apenas 5 anos de idade quando iniciou no Teatro João Caetano sua carreira na música.

Em 1965 ficou conhecida como A Bonequinha da Globo, onde niciou sua carreira profissional, como apresentadora de programas musicais da TV Globo, entre os quais "TV Fone" e "Noite de Gala".

Como atriz, integrou o elenco das novelas "Saramandaia" (Rede Globo/1976), "A sombra dos laranjais" (Rede Globo/1977), "O astro" (Rede Globo/1977), "Tieta" (Rede Globo/1989), "Kananga do Japão" (Rede Manchete/1989), "Mico preto" (Rede Globo/1990) e "Amazônia" (Rede Manchete/1992), entre outras, além de ter atuado na peça "Vestido de noiva".

Gravou os seguintes temas de novelas: "Manequim" (Antonio Adolfo e Tibério Gaspar), para a trilha de "O cafona" (Rede Globo/1971); "Uma rosa em minha mão" (Toquinho e Vinicius de Moraes), para a trilha de "Fogo sobre terra" (Rede Globo/1974); "Amor, amor", para a trilha de "O grito" (Rede Globo/1975); "Caso você case" (Vital Farias), para a a trilha de "Saramandaia" (Rede Globo/1976); "O circo" ( Sidney Miller), para a trilha de "Vejo a lua no céu" (1976); "Eu dei" (Ary Barroso), para a trilha de "Nina" (1977), e "Antes que aconteça" (Renato Teixeira), para a trilha de "Dancin´days" (Rede Globo/1978).

Lançou, em 1978, o LP "Filme nacional", contendo as faixas "Total abandono" e "Estória de cantador", ambas de Djavan, "Manifesto" (Guto Graça Melo e Mariozinho Rocha), "Melodia inacabada" (Rita Lee), "Minh'alma" (Don Beto e Reina), "Como um sonho" (Don Beto), "Olha" (Roberto e Erasmo Carlos), "Antes que aconteça" (Renato Teixeira),"Pour Pablito" (João Melo e Dito) e "Coração de candango" (João Carlos Pádua e Egberto Gismonti), além da canção-título (Marcio Proença). O disco contou com a participação de Guto Graça Mello (direção musical e arranjos), Walter D'Ávila Filho (produção musical), Lincoln Olivetti (arranjos) e Egberto Gismonti (arranjos).

Em 1984, participou do disco "Aldir Blanc e Maurício Tapajós", na faixa "Colcha de retalhos" (Maurício Tapajós e Aldir Blanc).

Ao final da década de 1980, apresentou-se na Sala Funarte-Sidney Miller, com um show em homenagem à cantora Aracy Cortes, com quem contracenava no palco, e com o show "O cordão dos puxa-sacos", este em homenagem ao compositor Roberto Martins, também presente no espetáculo, que contou ainda com a participação do cantor Chamon, com direção e roteiro de Ricardo Cravo Albin, permanecendo um mês em cartaz, dentro da série "Carnavalesca", realizada pela Funarte.

Ao lado do grupo Nó em Pingo D'Água, gravou a faixa "Tu qué tomá meu home" para o "Songbook Ary Barroso", lançado, em 1995, pela Lumiar Discos de Almir Chediak.

Em 1997, mudou-se para Nova York, onde cantou em casas noturnas e trabalhou em uma escola de música.

De volta ao Brasil, em 2000, atuou na minissérie "Aquarela do Brasil" (Rede Globo), fazendo uma participação especial como Elizinha, uma famosa cantora da década de 1940.

Em 2004, lançou o CD "Música no ar", contendo suas composições "Noite clara" e "Saudade", ambas com Paulo Debétio, e "Contra a vontade" (c/ Cristóvão Bastos), além de "Nuvem de lágrima" e "Uma nova mulher", ambas de Paulo Debétio e Paulinho Rezende, entre outras. O disco foi produzido por Paulo Debétio.

Em 2007 atuou no "Sítio do Picapau Amarelo", dentro do episódio de 40 capítulos "Quem Quiser Que Conta Outra", encarnando a Dona Carochinha.

Em 2008, contratada pela Tv Record, atuou na série "A Lei e o Crime", de Marcílio Moraes, interpretando a personagem Luísa.

Em 2006 participou do programa Rei Majestade do SBT, apresentado por Silvio Santos e foi uma das mais votadas pelo público através da Internet e telefone, recebendo uma das Coroas de Ouro do programa.

Em 2006/07 a cantriz protagonizou o musical teatral Aracy Cortes - A Rainha da Praça Tiradentes.

No ano de 2008 um internauta fez-lhe uma homenagem montando um cd com gravações de grandes sucessos e de apresentações mágicas que realizou ao longo da carreira. O cd foi intitulado "Marília Barbosa - ao vivo".

Atualmente reside na cidade fluminense de Magé.

Fonte: Dicionário Cravo Albin da MPB e Wikipédia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário