quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Balthazar

Balthazar nasceu em Aracaju/SE no dia 5 de março de 1952.

Balthazar Góes Neto carrega o nome do avô com orgulho, o mesmo orgulho que ele lamenta não ter tido o povo sergipano, que no lugar de homenagear seu avô com uma avenida, deram-lhe uma placa num beco, e o que é pior, tentaram tirar-lhe o nome do beco. Balthazar também é parente, não muito distante, de Lampião, o rei do cangaço.

Os primeiros passos na carreira foram dados no Colégio da Dona Maria, fazendo apresentações para os alunos e seus pais. O pai, que trabalhou a vida toda nos Correios, tinha um violão que Balthazar arranhava notas, escondido do pai, aos cinco anos. É músico de ouvido, toca com domínio, mas seu maior recurso é mesmo a sua voz.

Foi cantando Orlando Dias, Carlos Alberto, Altemar Dutra, Silvinho, Nelson Gonçalves, Dalva de Oliveira, Orlando Silva e os próprios cantores regionais que ele aparecia como destaque aos oito anos, no programa "A Noite é do Cartaz Sergipano". Sua interpretação diferenciada dava indicação do que viria pela frente. Foi preciso deixar Aracaju e partir para São Paulo, recebendo incentivos do irmão que o levava para participar de concursos e programas de TV, um deles o Aí vem as Crianças, do apresentar Durval de Souza, um cômico da pesada.

Balthazar percorreu o trajeto comum aos pretendentes do sucesso, cantando hora aqui, outra ali, mas sempre cantando. Anos depois, no Rio de Janeiro, a namorada Sandra, filha de Raul Sampaio, fez a ponte que levaria Balthazar ao mundo do disco, é que Sandra pôde apresentar o namorado ao pai, e assim, não demorou muito, Raul descobriu o talento do rapaz para cantar. Mas Balthazar garante que foi ao nascer que sua vocação para cantar foi revelada, segundo ele ao chorar pela primeira vez, o médico lhe bateu no bumbum, no que ele respondeu cantando Sarah.

Com toda a predisposição para cantar, o esporte também, durante um bom período, povoou de sonhos e vitórias, a cabeça de Balthazar, principalmente quando a família mudou para o Rio, indo morar em frente ao Maracanã. Entregou-se a natação e por ela foi campeão em diversas modalidades.

A atração que sentia pelo rock, fez com que conhecesse uma nova turma de amigos, e deixasse para traz, de vez, qualquer possibilidade de seguir com o esporte. Foi quando conheceu Serguei, de quem mais tarde foi produtor, e Raul Seixas, parceiro dos inúmeros festivais de rock. Quando realmente pode enfim gravar seu primeiro disco, arrebentou nas vendagens, foram mais de um milhão de cópias do primeiro compacto "Cartas de Amor". Nascia então, o cantor Balthazar, grande vendedor de discos.

Balthazar tem orgulho da sua participação na história do Brasil. Como compositor, compôs, e cantou no Festival de Música do Exército Brasileiro, o hino "A Revolução de 64". “Eu sou o único compositor histórico vivo, no Brasil. Eu sou o dono do hino A Revolução de 64”. Reclama como patriota e artista, relembrando o fato, realizado a alguns anos após a revolução. No festival, Balthazar ganhou o primeiro lugar, mas teve que ceder lugar para um coronel do exército, que ficou em primeiro, rebaixando Balthazar para segundo lugar.

O cantor também foi produtor. Além de produzir o primeiro disco de Serguei, produziu também Lady Zu e outros cantores.

Além de ser grande amigo, dividiu apartamento com ídolo negro Evaldo Braga. Compartilhava do sucesso e dos percalços pessoais, enfrentados pelo cantor. Balthazar acredita que sua entrada na Phonogram foi exatamente pela voz e pela amizade que tinha com Evaldo. Jairo Pires lhe fez o convite para gravar logo após a morte de Evaldo. Ainda nos estúdios, foi chamado numa sala para ouvir uma música que Raul Seixas e Mauro Motta, haviam gravado em dueto, numa fita. A música era "Se Ainda Existe Amor", um de seus sucessos.

Quando soube que ia gravar, foi para casa e fez "Cartas de Amor", inspirada no seu próprio pai. Ouviu da boca de Jairo Pires: vá para casa e faça uma música de “chacundum”, para arrebentar. Foi o que fez.

Foi casado com a cantora Diana. Os dois moraram juntos por oito anos. Conheceram-se pela estrada, fazendo shows. Já se conheciam ha muitos anos, quando foram morar juntos. Balthazar guarda ótimas lembranças do tempo em que morou com a cantora no apartamento dela na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro. Ele revela que foi a pedido da Diana, porque confiava nele, que dividiram o quarto pela primeira vez. Inicialmente, foi para protegê-la das cantadas dos demais cantores no hotel onde estavam hospedados, que Balthazar e Diana passaram a dividir o mesmo quarto do hotel, somente depois foi que nasceu a atração e a paixão, e depois, foram morar juntos. Tudo começou em Mamanguape, na Paraíba, e terminou em 1993, no Rio. A inteligência, o talento, a beleza e o gênio de Diana, Balthazar vai guardar para sempre, e diz mais: “Dentre todas as cantoras da geração dela, Diana é a que melhor compõe e canta. É muito querida pelo povo do Brasil”.

Como pai, Balthazar só perde para Abraão, pois segundo seus cálculos, são mais de 26 filhos. Apesar dos três filhos oficiais, por muito tempo Balthazar ficou expert em conhecer filhos, bastava encerrar a apresentação, para vir moças com filhos nos braços apresentando-os como filhos. Balthazar lamenta não saber nada sobre um filho que teve com uma japonesa. Ela voltou para sua terra com o filho no ventre. Balthazar imagina que seu filho possa até ser um samurai. Atualmente é casado com Mariza.

Continua apresentando-se em shows, principalmente no Norte/Nordeste.

Vive atualmente entre as cidades de Fortaleza e do Rio de Janeiro, onde também mantém um apartamento. Contatos para shows: (21) 8668-0623 - (91) 8170-4640 (c/ Naldo Kleber).

Fonte: Musica das Antigas (blog)

2 comentários:

  1. Grande Cantor, o Balthazar e tenho a certeza que é também um grande homem.

    ResponderExcluir
  2. Quero contratar o cantor baltazar como fazer?

    ResponderExcluir