quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Gabrielzinho do Irajá

Gabrielzinho do Irajá, Gabriel Gitahy da Cunha, nasceu no Rio de Janeiro/RJ, no dia 28 de janeiro de 1996.

Nasceu no bairro de Irajá, subúrbio do Rio de Janeiro e um dos redutos do samba carioca e também o bairro de um dos mais afamados blocos de emplogação da cidade, o Bloco Carnavalesco Bhoêmios de Irajá. Do bairro também despontaram para um público mais amplo o compositor e escritor Nei Lopes, o cantor e compositor Zeca Pagodinho, a cantora Dorina e o percussionista e compositor Darcy Maravilha.

Prematuro de sete meses, sofreu paradas cardíacas e respiratórias, ficando cego. Aos dois anos e meio já havia decorado a letra de "Resposta ao tempo", de Cristóvão Bastos e Aldir Blanc. Com três anos cantava em casa várias composições de Dorival Caymmi.

Participou da peça infantil "O Mágico de Óz", quando estudava no Instituto Benjamin Constant (instituição para ensino de cegos no Rio de Janeiro) chamando a atenção da escritora Gloria Perez que o convidou para participar da novela "América", da Rede Globo. Na época da novela, no ano de 2005, ele declarou em entrevista: "Estou lá para mostrar para muitas mães que as crianças cegas ou com qualquer outro tipo de deficiência não podem ficar em casa trancadas, escondidas, sem nem ir à escola. A gente precisa dar o exemplo".

Compôs o hino da Escola de Samba Mirim Os Filhos da Águia.

A convite de Arlindo Cruz, Luiz Carlos da Vila, Beth Carvalho, Dorina, Renatinho Partideiro, Zeca Pagodinho, Dudu Nobre, Bandeira Brasil, Monarco, entre outros, começou a frequentar várias rodas de samba pela cidade do Rio de Janeiro.

Em 2007 apresentou-se em show na Livraria Saraiva, do Norte Shopping, no Rio de Janeiro, acompanhado de André Moreno (cavaquinho), Márcio Ricardo (violão 7 cordas), Waltis (percussão) e Álvaro (pandeiro), com participação especial de Renatinho Partideiro. Neste mesmo ano lançou, pela gravadora Rob Digital, o CD "Ninar meu samba", no qual contou com diversas participações especiais, entre as quais Dorina em "Lama nas ruas" (Almir Guineto e Zeca Pagodinho); Velha Guarda da Portela na faixa "Verdade do samba" (Gabrielzinho de Irajá e Júnior Thybau); Nana Caymmi no pout-pourri "Rosa morena" e "Milagre" (ambas de Dorival Caymmi); Dudu Nobre em "Cadê a água" (Dudu Nobre e Roque Ferreira); Zeca Pagodinho no samba "Pixote" (Mário Sérgio e Sereno); Luiz Carlos da Vila na faixa "Fogueira de uma paixão" (Luiz Carlos da Vila, Arlindo Cruz e Acyr Marques) e a dupla Renatinho Partideiro e Arlindo Cruz no pout-pourri "Mil volts de amor" (Renan Pereira, Moisés Santiago e Joilton Machado) e "Se Pagode é partido". No disco também interpretou "Samba do Irajá" (Nei Lopes); "Ninar meu sonho"; "Rara beleza"; "Tamarineira" (Zeca Pagodinho e Bandeira Brasil); "Axé da beijada"; "Pátria amada"; "Meu primeiro amor" e "Feitiço da Vila", de Vadico e Noel Rosa. O CD foi lançado em show homônimo no Canecão com participação de vários convidados e apresentação do ator Marcos Frota.

Apresenta-se esporadicamente em shows, principalmente ao lado de Dudu Nobre, seu grande incentivador.

Fonte> Dicionário Cravo Albin da MPB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário